Diretas-já no Tocantins – Com governador cassado, Estado revive campanha para impedir escolha de substituto sem o voto do povo

Pelo votoVinte e cinco anos depois de a campanha das “Diretas-já” invadir as ruas de todo o País para garantir a participação do povo na escolha do presidente da República, um Estado brasileiro revive o movimento mais popular da nossa história.

O motivo está longe de ser uma comemoração ao jubileu de prata daquele ato cívico. O que está levando o povo do Tocantins às ruas é uma anacrônica ressurreição da eleição indireta. No dia 25 de junho, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu que os substitutos do governador cassado, Marcelo Miranda (PMDB), e de seu vice, Paulo Sidnei (PPS), seriam escolhidos por um colégio eleitoral como nos tempos da ditadura militar… Confira clicando aqui.

Comente

O seu e-mail não será publicado Os Campos obrigatórios estão marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Site protegido contra Spam

Subir